Paraty-RJ



Paraty é uma porta para o passado, um momento do século XVII que se conservou para o deleite de quem a visita. Nada se compara ao prazer de caminhar nas ruas calçadas com pedras pés-de-moleque a apreciar um dos mais belos conjuntos arquitetônicos do tempo do Brasil - colônia. É um passeio fora do tempo, olhando as casas com suas janelas coloridas, grades lindas, plantas brotando das paredes e um desenho aqui e ali adornando para sempre suas fachadas singelas. Quantas e deliciosas pequenas lojinhas com uma variedade infinda de artesanatos e produtos locais. Todas entremeadas com as mais agradáveis pousadas, algumas muito caseiras outras realmente sofisticadas, atendendo e satisfazendo todos os gostos. E há ainda os dias em que a maré alta adentra pelo Centro Histórico que além de surpreendente é de uma rara beleza. A beleza natural se impõe na sua baía com mais de 300 praias e dezenas de ilhas. Sair de barco continua sendo uma aventura como na época das descobertas ou do ciclo do ouro. Os tesouros são suas inúmeras praias rodeadas de exuberante vegetação e imersas no silêncio e encanto da floresta tropical. Acrescentando a tudo isso uma cozinha de frutos do mar, de refinados e renomados restaurantes, conhecida e muito apreciada em todo país. Há quase 3 séculos se fabrica pinga em Paraty. Esta, já foi uma atividade que reuniu mais de 200 engenhos. Os que ficaram com essa antiga tradição podem ser visitados e seus produtos degustados. Para um encontro mais próximo com a Mata Atlântica, caminhadas podem ser organizadas para explorar o Parque Nacional da Serra da Bocaina com seus rios e cachoeiras e o espetáculo de sua exuberante floresta.


Bairro Histórico de Paraty


Patrimônio Nacional, o Bairro Histórico é da 2ª metade do século XVIII e das 1ªs décadas do século XIX , tendo sido sua área demarcada em 1719. Transformou-se em importante centro de comércio, por ser o principal escoadouro das riquezas extraídas de Minas Gerais. Durante o século XVIII sofreu fases de declínio e ascensão em sua economia. Somente em 1954, com a abertura da estrada Paraty-Cunha, começou a reviver com a vinda de artistas e turistas. O conjunto arquitetônico se revela nos detalhes dos edifícios, na composição dos quarteirões, no trabalho das ruas, no calçamento de pedras pé-de-moleque, com caimento no piso, formando calha. Também se manifesta com a colocação das igrejas nos quadrantes do conjunto, na localização geográfica a nível do mar e na procura do equilíbrio entre a natureza e a forma urbana desejada.
     Centro,às margens da Baía de Paraty .


Forte Defensor Perpétuo


A 1,25 km de Paraty. Construído em 1703, foi reconstruído em 1722 recebendo, nesta época o título de Defensor Perpétuo em homenagem a D. Pedro I. Dos sete fortes que defenderam Paraty da invasão dos piratas, é o único ainda existente. A construção que anteriormente abrigava as instalações militares, os alojamentos dos soldados e a cadeia, assemelha-se a uma construção residencial do século XVIII. Destaca-se ainda, junto ao forte, vestígios da antiga muralha de pedra e os canhões, e é uma das poucas casas de pólvora das fortificações brasileiras. No local funciona o Museu de Artes e Tradições Populares de Paraty.
Localiza-se entre as praias do Pontal e de Jabaquara.


Morro do Forte


Horário de Visitação: de 4ª a dom., de 9h às 12h e de 14h às 17h.


Praia de Paraty-Mirim


Águas mornas e transparentes. Areias claras. Parada regular de excursões marítimas. Foz do Rio Paraty-Mirim e ao lado Igreja de N.S.ª da Conceição. Locais próximos merecem visita, tais como : Enseada de Paraty-Mirim, Saco de Mamanguá, as ilhas próximas, além da Baía da Preguiça e o Saco da Velha. Extensão : 1 km.

     Endereço: 27 km ao sul de Paraty


Toca do Cassununga


Localizada próximo a região dos mangues, tem altura em torno de 15m. Acúmulo de blocos rolados superpostos, formam abrigos com numerosos espaços cobertos, que se interligam. Atravessando uma galeria de 30m de extensão, sobe-se uma estreita trilha até o alto das furnas. Seu interior é bem iluminado e ventilado. Os rochedos estão recobertos por samambaias, bromélias, urtiga de cipó caboclo, entre outras espécies. Localização : Rua Orlando Carpinelli/Av. Municipal/Estrada Jabaquara, Pontal - Sede.